Como fazer uma boa gestão de risco dos seus investimentos?

Você sabe como fazer uma boa gestão de risco dos seus investimentos? Muito negligenciada pelos traders iniciantes, essa é uma ferramenta extremamente necessária para garantir a sobrevivência a longo prazo. E, consequentemente, permitir que você seja lucrativo no Mercado Financeiro.

Hoje, vamos abordar como funciona a gestão de risco e como essa ferramenta pode agregar no seu trabalho como trader.

 

O que é gestão de risco?

Para falar sobre gestão de risco nos investimentos, a primeira coisa a fazer é entender o que esse conceito significa na prática. Aqui, significa a compreensão sobre os riscos envolvidos nos ativos e nos produtos do Mercado Financeiro. Ou seja, como equilibrar o uso do seu dinheiro de acordo com eles.

A verdade é que todo tipo de investimento tem risco. Até mesmo aquele título público que você comprou para deixar o dinheiro da sua reserva de emergência. Não acredita nisso? Basta pesquisar sobre o default que a Argentina aplicou em seus investidores. Ou seja, não existe 100% de segurança no Mercado Financeiro.

É nesse ponto que entra a gestão de risco. O grande objetivo é compreender qual é o risco de um determinado ativo. E, com base nisso, encontrar uma quantia de capital adequada para equilibrar dois fatores: o potencial retorno e as perdas que ele pode causar no seu patrimônio.

 

Quais são os riscos no Mercado Financeiro?

Há quem pense que risco é sinônimo de “possibilidade de perder dinheiro”. Além de não ser verdade, é uma visão extremamente superficial do tema. Vale lembrar, grandes ganhos estão associados a riscos elevados também. Se você não assumi-los, os maiores lucros se afastam das suas operações.

O que importa na gestão de risco é entender as características dos ativos e agir para minimizar o impacto delas. Existem, em resumo, quatro tipos principais de riscos em um investimento. São eles:

 

  • Risco de liquidez: a liquidez é a característica que corresponde à facilidade de converter um ativo em dinheiro. Naturalmente que, para um trader, esse é um risco importante. Um ativo sem liquidez pode impedi-lo de encerrar uma posição, algo que pode ser muito prejudicial para a operação realizada.
  • Risco de crédito: como mencionamos no caso dos títulos públicos, empresas e governo podem não conseguir pagar o prometido. Nesse caso, temos o popular calote, que é chamado tecnicamente de risco de crédito. É mais comum na renda fixa do que na renda variável.
  • Risco de mercado: os ativos variam de preço a todo instante de acordo com as condições econômicas. O risco de mercado diz respeito aos impactos do ambiente global na precificação dos produtos financeiros. O trader deve estar de olho nesse tipo de risco.
  • Risco do ativo: por fim, os próprios ativos possuem os seus riscos específicos, os quais devem ser observados nas operações. Se você opera commodities, por exemplo, deve saber que a precificação da mercadoria é influenciada por uma série de fatores políticos, econômicos e ambientais.

 

Qual é a importância da gestão de risco?

Como acabamos de ver, os ativos do Mercado Financeiro possuem cenários de risco que devem ser monitorados nas operações financeiras. Em outras palavras, é justamente em função deles que existe a gestão de risco. E essa gestão permite ao trader o monitoramento de tudo que envolve o ativo.

Um trader profissional, aliás, costuma trabalhar com ferramentas que ajudam a identificar os riscos. Elas também contribuem para encontrar oportunidades em que a relação entre o risco e o retorno sejam positivas. E, dessa forma, você pode abrir uma posição.

Além disso, a gestão de risco é uma excelente forma de ajudar na tomada de decisão. Basta a análise de tudo que envolve um ativo e o uso das ferramentas adequadas. Assim, fica mais simples identificar as oportunidades que valem a pena pensando na lucratividade que podem gerar ao investidor.

 

A gestão de risco garante lucro?

Não, a gestão de risco não tem como função garantir lucro. Não há, digamos, nenhuma forma de ter certeza de que uma operação será lucrativa. No entanto, essa ferramenta permite uma boa avaliação do mercado – algo que consiste em uma situação vantajosa pensando nos resultados de longo prazo.

Isto é, o Mercado Financeiro é um espaço onde não há como garantir os lucros. Por isso, a gestão de risco impede que você quebre em uma posição que não funcione conforme a expectativa inicial. Sabendo como se expor em cada ativo, o objetivo de equilibrar lucros e prejuízos torna-se mais controlado. Isso permite que você seja lucrativo caso faça boas escolhas no mercado.

Gostou das dicas e quer ficar atualizado sobre todas as novidades do Mercado Financeiro? Acesse nosso blog e confira os conteúdos.