Os setores que mais cresceram na Bolsa na pandemia

A pandemia do Coronavírus foi cruel para muitos setores, mas não para a Bolsa de Valores, que está batendo recorde de investidores. Em 2020, o número de cadastrados na Bolsa quase dobrou. E as empresas também têm faturado muito. 

Citando empresas que se destacaram no segmento e-commerce, aparece Magazine Luiza (MGLU3), que durante o ano de 2020, apresentou excelentes resultados, após investir forte na presença digital. Como consequência, suas ações tiveram alta de 104,84%. Destaque também para a Via Varejo (VVAR3), das marcas Ponto Frio e Casas Bahia, cujo lucro foi impulsionado pelas vendas online. A empresa teve alta anual de 40,52% em suas ações. Outro exemplo de sucesso é a B2W (BTOW3), que funciona como host para lojas digitais. Após saber identificar as oportunidades do momento, suas ações cresceram 21,17% em 2020. 

Já na categoria empresas exportadoras o boom se deu devido à baixa do câmbio e a recuperação chinesa. A  Marfrig (MRFG3), por exemplo, que é a segunda maior empresa de carne bovina do mundo, teve alta de 48,67% nas suas ações em 2020. As ações da Klabin (KLBN4) subiram 46,76%. As da Suzano (SUZB3),  46,35%. As duas empresas são do ramo de papel, que se destacou na pandemia por causa das vendas online e grande procura por embalagens. Esse cenário favorável também refletiu nas suas ações. Atenções voltadas também para a Vale (VALE3), beneficiada pela alta no preço do minério de ferro, cujas ações cresceram 63,15% em 2020; Gerdau (GGBR4), com alta de 22,99% durante o ano; e Weg (WEGE3), que possui fábricas espalhadas por vários países e viu suas ações subirem 114,32% na Bolsa de Valores.