Como escolher uma corretora para investir?

Como escolher uma corretora para investir?

Já não é novidade que as corretoras de valores são uma ferramenta fundamental para qualquer trader. É preciso ter uma boa plataforma que permita não apenas operações ágeis e rápidas, aproveitando as oportunidades, como também uma organização de dados que facilite esse processo dentro do dia a dia do operador.

Contudo, da mesma forma em que as corretoras são importantes para o trader, escolher qual delas usar nas suas operações é uma questão um pouco mais complexa. Existem, afinal, diversas marcas no mercado e não é fácil saber qual é a ideal para o seu modelo de trabalho, não é mesmo?

Pensando nisso, hoje você vai encontrar algumas dicas bem bacanas para fazer um filtro entre as suas opções disponíveis e acertar na hora de escolher uma corretora para investir.

Como escolher uma corretora para investir em 6 passos?

Antes de entrarmos mais a fundo nas nossas dicas para você caprichar na hora de escolher uma corretora para investir, nós precisamos deixar um aviso: não existe uma plataforma perfeita.

É importante que tenha isso em mente, pois vemos com frequência pessoas buscando por essa situação. O que existe, claro, é uma plataforma que melhor atenda às suas necessidades, mas não encontraremos uma que funcione bem para todos os perfis e desejos.

Como saber qual é essa corretora ideal? É o que vamos ver a partir de agora, começando pelo seu objetivo.

Passo #1 • Entenda o seu perfil de trader

O primeiro passo para escolher uma corretora para investir é entender o seu perfil e o seu objetivo dentro do Mercado Financeiro. Isso porque, ao contrário do que pode parecer em um primeiro momento, as plataformas não são todas iguais, tampouco oferecem a mesma gama de serviços.

Portanto, a primeira pergunta a responder é: com quais ativos você deseja trabalhar? Quer comprar ações? Ou negociar moedas no Forex? Basta ter algumas opções mais conservadoras como renda fixa? A partir do foco das operações, as empresas concorrentes precisam oferecê-las para seguir na disputa pela sua atenção.

Não se atente apenas se o ativo está disponível para negociação, mas principalmente qual o foco dado a ele. A maioria das plataformas permite criação de conta gratuita. Experimente aquelas que mais gostar para entender o quanto elas facilitam ou dificultam o ato da compra.

Passo #2 • Verifique a cobrança de taxas

Diretamente ligado aos serviços e produtos disponíveis, escolher uma corretora consiste também em encontrar menores taxas entre as opções mais confiáveis. Por que você vai pagar mais para comprar um ativo se pode fazê-lo sem qualquer taxa?

Apenas como exemplo, suponha que uma corretora cobre R$20 por ordem de compra na Bolsa de Valores, enquanto que a sua concorrente o faça por R$5. Não é muito mais vantajoso, ao menos em um primeiro momento, pagar menos para realizar a mesma operação? O ideal é até buscar uma situação em que sequer cobre esse tipo de taxa, se possível.

Vale lembrar que, ao comprar ativos por meio de uma corretora, o seu capital estará ligado ao investimento feito — e não à empresa. Ou seja, caso a marca venha a ter algum tipo de problema financeiro, o seu dinheiro seguirá alocado no ativo. Portanto, se a corretora é confiável, priorize aquela que cobrar menos pelos mesmos serviços e produtos.

Passo #3 • Teste o Home Broker da plataforma

Para um trader, o Home Broker é especialmente importante. É nele, afinal, que são realizadas as operações dentro do Mercado Financeiro. Como você passará muito tempo nelas ao longo da vida, a plataforma de negociação precisa ser agradável e eficiente.

Na prática, não há melhor maneira de encontrar a ferramenta ideal do que testando as alternativas existentes. Novamente, não existe uma corretora perfeita para escolher, mas sim aquela que melhor se adapta às suas necessidades. O que é prioritário para nós, por exemplo, pode não ser para você.

Passo #4 • Avalie o atendimento e os serviços oferecidos

Em qualquer tipo de serviço, testar o atendimento também é muito importante na hora de escolher uma corretora para investir. Afinal, você será um cliente da plataforma e precisa que dúvidas e problemas sejam rapidamente solucionados. Assim, entre em contato com as suas opções. Veja a forma pela qual a corretora trata o seu problema e busca resolvê-lo.

Além disso, fique de olho na gama de serviços oferecidos. Muitas corretoras pelo mundo atualmente oferecem um suporte bem bacana aos usuários como relatórios analíticos, recomendações e avaliação de carteira de acordo com seu perfil de investidor.

Não deixe também de entender a forma pela qual esses serviços são compartilhados, bem como qual a exigência de capital para um atendimento diferenciado. Um patrimônio de R$100 mil, por exemplo, pode receber tratamento especial em uma corretora, mas não ter esse benefício em outra.

Passo #5 • Verifique a segurança da corretora

Quando for analisar os itens anteriores que sinalizamos neste artigo, não deixe de considerar também a segurança e a confiabilidade da plataforma. Isso porque corretoras não regulamentadas também existem na internet e podem trazer dores de cabeça no futuro.

A boa notícia é que o Mercado Financeiro é extremamente rigoroso e fiscalizado. Desta forma, cada país tem a sua entidade fiscalizadora e, na maior parte das vezes, ela oferece uma lista de corretoras aptas a operar com ativos financeiros. Verifique se a plataforma que você escolheu está nesse tipo de lista antes de fazer qualquer transferência de capital.

Passo #6 • Busque diferenciais competitivos

Por fim, ainda que não seja um requisito, podemos buscar alguns diferenciais competitivos. Um exemplo disso é uma área de cursos, geralmente chamada de educacional pelas empresas.

Esse tipo de conteúdo não torna uma corretora melhor ou pior para investir, mas mostra preocupação em compartilhar algo com seus clientes e capacitá-los. Desta forma, podemos contar pontos para marcas que ofereçam algo de diferente em relação aos concorrentes.

Ao usar desses seis itens que destacamos ao longo do texto, você dificilmente fará uma má escolha de corretora para investir. Capriche nesse processo e lembre-se de que não há obrigatoriedade de eleger apenas uma já que a maioria delas não cobra nada para criação de conta.