Como funciona o Mini Dólar?

O Mini Dólar é, assim como diversos ativos do Mercado Financeiro, um produto disponibilizado nas corretoras para negociação entre investidores. E, onde há negociação, também há oportunidades para um trader ganhar dinheiro explorando a variação de preços entre compradores e vendedores.

O Mini Dólar é menos popular em relação a outros ativos do mercado. Mas ainda é um produto interessante para quem gosta de trabalhar com contratos envolvendo a moeda americana. Afinal, ela é considerada a mais segura do mundo, embora apresente oscilação diária na sua precificação.

Você é daqueles que se interessa por negociações cambiais? Então vai gostar de conhecer o Mini Dólar, um dos ativos que permitem aproveitar a volatilidade na busca por lucros. Vamos aprender como ele funciona na prática.

 

O que é o Mini Dólar?

Para começar, vamos entender o que é, de fato, o Mini Dólar. Esse é o nome dado aos minicontratos que envolvem o dólar. Isto é, uma estrutura do Mercado Futuro em que se permite negociar apenas uma parte do contrato original – mais especificamente, 20% do valor utilizado inicialmente.

Além disso, apesar de ser uma versão simplificada, o Mini Dólar está dentro do pacote do Mercado Futuro. E essa é uma modalidade em que os ativos são negociados com antecedência para uma data futura. Assim, ganhos e perdas dependem diretamente do comportamento do preço do ativo até a data de vencimento do instrumento.

O nome do ativo é Mini Dólar porque os contratos são relacionados justamente ao dólar. Ou seja, é mais uma oportunidade para negociar a forte moeda americana sem precisar investir valores tão elevados. Isso pode ser útil para o investidor iniciante que, ao menos em tese, não possui tantos recursos para suas operações iniciais.

 

Como funciona o Mini Dólar?

A negociação do Mini Dólar começa assim como no Mercado Futuro convencional: com compradores e vendedores acordando um preço para negociação em data futura. Isto é, você pode registrar um preço para executá-lo em uma data de vencimento acordada. E isso depende das condições oferecidas pelo mercado naquele momento.

Um ponto importante é que, justamente pelo seu funcionamento, esse instrumento derivativo acaba por apresentar uma alta volatilidade. Em outras palavras, há um ótimo potencial de lucros em curto intervalo de tempo. Assim como há risco elevado de perder dinheiro no caso de erro de avaliação. Dessa forma, é prudente usar uma parcela reduzida de capital para evitar sustos.

Por outro lado, o Mini Dólar possibilita a um trader negociar os contratos futuros com apenas 20% do valor original. E essa é uma chance especial para redução de custos – algo que é positivo para aumentar o acesso do operador iniciante a novas classes de ativos.

Por fim, embora seja um tanto óbvio, o resultado financeiro dessa operação depende do comportamento do dólar no mercado. Ou seja, de acordo com as condições do mercado, a moeda pode se valorizar ou desvalorizar. E esse movimento vai influenciar diretamente a sua operação com o Mini Dólar.

 

Como identificar o Mini Dólar na Bolsa de Valores?

Os minicontratos de dólar são negociados por meio da Bolsa de Valores. Sua sigla de negociação é padronizada internacionalmente como WDO. Isso é ótimo porque permite ao investidor internacional ter facilidade para localizar o ativo. Vale lembrar que a categoria de minicontratos também oferece a oportunidade de acessar outros produtos, como os índices globais, por exemplo.

Além disso, junto à sigla padrão, cada Bolsa de Valores inclui uma forma de identificar o vencimento do contrato futuro. Assim, acrescenta-se uma letra que indica o mês de vencimento e também o ano. Ao entender essa estrutura, fica fácil encontrar a data futura para sua operação de trading com contratos atrelados ao dólar.

 

Quais são as vantagens de operar o Mini Dólar?

Sabe qual é a principal vantagem de operar com o Mini Dólar? A oportunidade que o trader possui de negociar a moeda americana com pouco dinheiro. Nesse ativo, afinal, cada ponto equivale a R$ 10. Considere o número de pontos que o contrato variar entre o período da abertura de uma posição e o encerramento. Esse número é multiplicado pelo valor, e assim encontra-se o resultado financeiro.

Dessa forma, como vimos, o trader não precisa arcar com o preço cheio do contrato de dólar no Mercado Futuro. Isso fatalmente tornaria o ativo menos acessível. Além disso, você não precisa usar o valor cheio, pois essa categoria permite que você atue alavancado. Ou seja, basta ter o valor chamado de margem de garantia (quantia para garantir perdas, caso elas ocorram) na conta da sua corretora.

Por fim, ainda podemos mencionar como vantagem do Mini Dólar a sua excelente liquidez (o que permite facilidade na hora de negociar o ativo). E também a oportunidade de operar nas duas direções. Isto é, tanto comprado, como vendido – uma característica que possibilita lucrar tanto na alta como na baixa do Mercado Financeiro.

 

Vale a pena operar Mini Dólar?

O Mini Dólar é, assim como outros instrumentos derivativos, uma alternativa que oferece alta volatilidade ao trader. Portanto, em primeiro lugar, esteja ciente dos riscos do Mercado Futuro antes de abrir qualquer posição na Bolsa de Valores. Isso vale para a proteção do seu capital e para o uso adequado da sua estratégia.

Por outro lado, como vimos, essa modalidade oferece algumas vantagens interessantes ao trader. Especialmente no que se refere aos custos da operação. Dessa forma, há um excelente potencial de lucro, caso as análises sejam bem executadas.

Não podemos nos esquecer, contudo, de um fator importantíssimo: é essencial ter um bom conhecimento técnico ao executar ordens de compra ou venda de um contrato de Mini Dólar. Mas não se preocupe: a UniTrader pode te ajudar com essa missão inicial.

Aproveite para criar o seu cadastro no nosso curso gratuito ABC do Trading. Aprenda mais sobre essa modalidade de ativo, assim como outros conceitos fundamentais para a atuação de um trader no Mercado Financeiro.