O que são índices globais?

Você sabe o que são índices globais? Muito provavelmente sim, já que eles são constantemente noticiados pela mídia, especialmente quando o assunto está na economia ou na política. É bem provável, por exemplo, que já tenha escutado frases como essas:

“O Dow Jones teve alta de mil pontos no pregão de ontem”

“O Ibovespa atingiu sua máxima histórica nesta semana”

“S&P 500 teve baixa considerável após os novos rumos da eleição americana”

Caso os nomes e os eventos sejam familiares, isso significa que, mesmo de maneira inconsciente, você já tem alguma intimidade com os índices globais. Hoje, vamos eliminar de vez qualquer dúvida que possa existir a respeito desse tema e, o que é mais legal, como você pode lucrar com eles.

O que são os índices globais?

Os índices globais são carteiras teóricas de ações, geralmente aquelas com maior volume de negociação, em cada uma das Bolsas de Valores. Assim, aqueles papéis mais representativos para uma região são agrupados, permitindo o acompanhamento de desempenho por meio do índice.

Os índices são medidos em pontos e compostos por uma quantidade variável de ações (alguns possuem dezenas delas, enquanto outros podem considerar centenas de papéis).

O peso de cada ativo também pode variar na medida em que determinados índices globais consideram volume igual para cada papel, enquanto eu outros aplicam uma média ponderada, gerando maior peso para uma ou outra ação. O critério, geralmente, é a sua importância e relevância, algo que gera grande liquidez e capitalização para o papel.

Esse é um ótimo instrumento para acompanhar o comportamento geral de um determinado mercado. Assim, quando uma determinada Bolsa de Valores está em alta ou em queda, isso acaba se refletindo no comportamento do seu índice, permitindo ao investidor uma análise breve e eficaz dos principais mercados globais.

Quais os principais índices globais?

Existem, atualmente, diversos índices globais que você precisa conhecer. Cada um deles acaba por resumir o andamento de importantes regiões da economia mundial. Vamos passar brevemente pelos principais.

Dow Jones

O índice Dow Jones reflete o desempenho das 30 principais empresas dos Estados Unidos. A sua carteira teórica é atualizada constantemente e as companhias podem ser negociadas tanto na NYSE, como também na NASDAQ — as duas Bolsas de Valores mais relevantes do país.

S&P 500

Já o S&P 500 é um índice que traz as 500 empresas mais negociadas (ou seja, que apresentam maior liquidez) nos Estados Unidos. Também considera tanto a NYSE, como a NASDAQ.

NASDAQ

Outro índice global dos Estados Unidos com grande relevância internacional é o NASDAQ que traz as 100 maiores empresas não financeiras listadas nesta Bolsa de Valores especificamente.

SSE Composite Index

Esse é outro dos mais importantes índices globais, pois considera outra forte economia do nosso planeta: a China. Ele contempla as principais ações negociadas na Bolsa de Shanghai.

DAX 30

O DAX 30 traz mais uma carteira teórica de ações, desta vez com as 30 principais ações (em liquidez e capitalização) da Bolsa de Frankfurt, a principal Bolsa de Valores da Alemanha.

UK 100

O UK 100 é o nome popular do índice global UK Financial Times Stock Exchange, uma carteira teórica que engloba as 100 principais empresas da Bolsa de Valores de Londres. O critério é a capitalização de mercado das companhias. Também é chamado popularmente de FTSE 1000.

Nikkei 225

Outra Bolsa de Valores importante da Ásia é a Nikkei. O Nikkei 225, portanto, é um índice global que reúne as 225 principais empresas da Bolsa de Valores de Tóquio (TSE).

Ibovespa

O Ibovespa é o principal índice de ações do Brasil. Reúne as empresas com maior liquidez na Bolsa de Valores do país, a B3. Quanto maior a liquidez, maior a representatividade na carteira teórica.

Como lucrar com os índices globais?

Os índices globais são importantes ferramentas para indicar o desempenho de uma determinada região econômica. Ao analisar o comportamento do S&P ou do índice NASDAQ, por exemplo, você consegue entender como estão desempenhando as principais ações dos Estados Unidos.

Contudo, essa não é a sua única utilidade para um trader. É possível negociar também esses índices globais e tentar lucrar com o seu desempenho. Isso é feito por meio das corretoras e você pode operar com índices de duas formas principais:

 

  • Comprando ETFs, uma espécie de fundo de investimento que basicamente replica o comportamento do índice.
  • Operando CFDs (Contratos por Diferença) e lucrando com a oscilação dos pontos dos índices.

 

Para um trader, os CFDs são bem atrativos na medida em que permitem obter lucros em diferentes momentos econômicos. Ele pode operar tanto pensando na alta dos índices globais, como também na baixa. Ao usar dos ETFs, por outro lado, a abordagem é mais passiva e dependente do desempenho de cada indicador.