Corretoras x Bancos: onde é melhor investir?

Corretoras x Bancos: onde é melhor investir

Se você está começando a ter interesse pelo mundo dos investimentos agora, provavelmente já se deparou com uma dúvida comum: corretoras x bancos, por onde é melhor investir?

Essa é uma situação que costuma gerar bastante questionamento, especialmente entre os iniciantes na medida em que não dominam com clareza as funções e atribuições de cada uma dessas partes envolvidas no processo de intermediação entre o seu capital e os principais ativos financeiros.

Pensando nisso, resolvemos criar esse conteúdo comparando as duas opções e, claro, indicando qual a melhor para os seus objetivos em relação ao próprio patrimônio.

Como funciona para investir em um banco?

Em países mais conservadores, onde a população historicamente apresenta maior aversão ao risco, é natural que os bancos sejam a porta de entrada para os investimentos. Eles, afinal, já possuem a característica de receber a reserva financeira. Desta forma, parece lógico e seguro usá-los para investimentos também.

Na prática, no entanto, essa não é uma ideia recomendável. Em primeiro lugar, porque a oferta de ativos é limitada aos produtos do próprio banco. Isto é, ao acessar a área de investimentos do Itaú, por exemplo, você terá majoritariamente ativos dessa instituição. Vale ressaltar que é uma situação geral: essa limitação se estende a outros bancos também.

Além disso, a maior parte do atendimento desse tipo de empresa é feita pelo gerente do banco. Neste caso, você pode lidar com um conflito de interesses já que o profissional pode ter metas atreladas à venda de um determinado produto — o qual não necessariamente é o mais atrativo para o seu objetivo.

É preciso ser justo e dizer que os bancos também possuem bons ativos para os seus clientes. No entanto, eles só costumam oferecê-los para uma parcela bem reduzida, principalmente para aqueles detentores de maior disponibilidade de capital e donos de grandes patrimônios. A menos que esse seja o seu caso, os melhores produtos sequer aparecerão na sua conta.

Por fim, não podemos ignorar a cobrança de taxas. Os bancos costumam caprichar (no pior sentido) nesse aspecto. Assim, mesmo bons investimentos acabam não compensando na medida em que parte do lucro será levada por esses pagamentos adicionais, outro fator que acaba pesando conta.

Como funciona para investir em uma corretora?

Já as corretoras, embora também sejam intermediárias no processo de investimentos, apresentam um perfil bem diferente. E, ao contrário do que pessoas mais conservadoras possam pensar, elas são muito seguras desde que, evidentemente, você utilize de plataformas com boa reputação.

A primeira coisa que você precisa saber é que, como mencionamos, as corretoras são agentes intermediários. Ou seja, você não investe na corretora, mas sim por ela. O que isso significa na prática? Que caso ela vá à falência ou seja liquidada, o seu investimento segue alocado em um ativo, sem perdas.

O segundo ponto interessante é a cobrança de taxas. Ao contrário dos bancos, elas apresentam custos bem inferiores. Muitas dessas taxas, inclusive, acabam isentas para o investidor. Embora pareça um detalhe, isso faz toda a diferença no longo prazo dos seus rendimentos.

Em relação aos produtos, outra vantagem considerável. Por ser apenas uma intermediária no processo, essas empresas não apresentam apenas os seus próprios ativos, mas uma ampla disponibilidade entre os quais estão, inclusive, os próprios produtos bancários. Ou seja, você terá uma grande variedade, muito maior do que é oferecido pelos bancos.

Afinal, onde é melhor para investir: corretoras x bancos?

Depois de apresentar os dois lados dos intermediadores financeiros, podemos finalmente focar na resposta da pergunta central do artigo: é melhor investir em corretoras ou em bancos?

Se você leu com atenção os dois tópicos anteriores, possivelmente já percebeu que não existe nenhuma razão para insistir usando de bancos pensando nos seus investimentos. Eles não oferecem simplesmente nenhuma vantagem técnica que realmente deva ser considerada — a não ser, claro, a comodidade de não precisar buscar uma corretora.

No entanto, se você tem o mínimo de interesse em aumentar o seu patrimônio, encontrará com tranquilidade inúmeros motivos para optar por uma corretora. Taxas menores, variedade de produtos e a facilidade de usar uma plataforma focada em ativos financeiros são algumas das razões pelas quais não existe dúvida sobre o melhor caminho a seguir na hora de investir.