Mitos e verdades sobre a vida de um trader

Toda atividade profissional gera comportamentos considerados comuns, algo que leva a alguns clichês. No entanto, o que se diz por aí é verdade quando o assunto é a vida de um trader? Para responder a essa dúvida, levantamos alguns desses comentários comuns e separamos os mitos das verdades sobre a atividade.

Vale reforçar que, em alguns pontos, pode ser que você não concorde conosco. Afinal, alguns dos pensamentos comuns sobre a vida de um trader englobam aspectos emocionais e pessoais. Mas precisamos considerar um cenário geral, já que seria impossível personalizar o conteúdo para cada leitor, certo?

Então acompanhe a matéria e descubra como é a vida de um trader!

Os principais mitos e verdades sobre a vida de trader

Vamos então começar a nossa lista de frases comuns, dentro do Mercado Financeiro, sobre a vida de trader. Caso você esteja acostumado a ouvir algo que não citamos aqui, compartilhe conosco nos comentários. A ideia é esclarecer como realmente funciona a nossa atividade profissional, fugindo dos clichês.

 

#1 – “Vou enriquecer rapidamente com o trading”

Mito, e dos grandes. É verdade, sim, que muitos investidores ganharam dinheiro no Mercado Financeiro. Mas também há o outro lado da moeda: pessoas que não sabiam o que estavam fazendo e perderam grandes quantias. Vale lembrar que o trading é uma atividade de negociação: para você comprar, alguém tem que vender – e vice-versa.

O importante aqui é entender que o trading funciona como qualquer outro tipo de atividade profissional. Isto é, você precisa estudar, aprender e testar antes de efetivamente pode ganhar dinheiro de forma consistente.

Lembre-se: toda profissão exige um longo período de tempo para que o profissional atinja o sucesso. Um engenheiro, por exemplo, precisa estudar por anos, estagiar, para posteriormente começar a ganhar dinheiro de verdade. Não há motivos para você querer queimar etapas no trading. Tenha calma e paciência para obter lucros consistentes a longo prazo.

 

#2 – “A vida de um trader é muito instável”

Verdade. Ao lidar com a renda variável, você precisa entender que as operações são exatamente dessa forma. Ou seja, os seus resultados vão variar. Nem mesmo o melhor trader do mundo acerta todas as suas operações. E o motivo é muito simples: o mercado nem sempre é previsível.

Assim, o seu objetivo enquanto trader não deve ser manter 100% das operações lucrativas. Foque em ganhar mais dinheiro do que você perde ao fim de longos períodos. Essa sobra, afinal, será o seu lucro – e, por que não?, um dia pode ser a sua renda mensal para pagar as contas.

No entanto, há um fator crucial para alcançar o sucesso nessa atividade. Saber lidar com ganhos e perdas, assim como equilibrar as duas situações, é extremamente fundamental. Sem entender como funciona a renda variável, torna-se bastante desafiador ser consistente com as  suas operações de trading.

 

#3 – “Olhar gráfico é besteira, as pessoas são imprevisíveis”

Mito, embora a segunda parte seja verdadeira: as pessoas são realmente imprevisíveis. E, como são elas que fazem o mercado funcionar, há certa imprevisibilidade aplicada aos preços dos ativos. Isso envolve também a reação a certas notícias que podem causar pânico nos investidores – ainda que o desespero não se justifique na prática.

No entanto, isso não significa que as ferramentas de trading não possam oferecer um ótimo auxílio para suas operações financeiras. Elas justamente traçam tendências de mercado, seja para a compra de um ativo, seja para a venda dele. Ou seja, a Análise Técnica apenas vai replicar o que esse comportamento humano sugere para o momento.

É claro que elas não são infalíveis. Se fossem, todos os operadores que utilizam essas ferramentas estariam ricos. No entanto, ao aproveitar uma tendência centena de vezes, é bem provável que você possa acertar a maioria delas. Dessa forma, você tende também a ser lucrativo com suas operações no Mercado Financeiro.

 

#4 – “Trading é um mercado de alto risco”

Mito. Sim, é verdade que a renda variável traz um risco maior do que investir em ativos mais conservadores. No entanto, existem técnicas de trading que permitem a redução da exposição aos riscos.

Em primeiro lugar, boa parte dos traders trabalham com operações de curto prazo. Ou seja, a exposição de tempo com o seu capital é reduzida. Isso diminui as chances de ter de lidar com uma notícia muito negativa que possa influenciar o preço do ativo.

Além disso, existem também alguns recursos importantes que auxiliam nesse processo de reduzir o risco do mercado. É o caso do stop loss. Essa ferramenta encerra a sua operação caso o preço se volte contra a sua posição. O valor é predefinido por você mesmo.

Ou seja, mais do que o mercado em si, qual é o maior risco da atividade do trading? O desconhecimento na hora de realizar as suas operações. Sabendo como o trading se comporta, não é difícil traçar estratégias mais seguras – especialmente no que se refere à gestão do seu capital.

 

#5 – “Trading é para quem tem muito dinheiro”

Mito. Há sempre aquela parcela da população que pensa que o trading é uma atividade para os ricos. Mas isso não é verdade. Com uma quantia pequena de capital, você já pode começar as suas atividades no Mercado Financeiro. O ideal, inclusive, é começar com pouco dinheiro. Assim, você aprende a lidar com as oscilações naturais da vida de um trader.

No entanto, não podemos deixar de fazer uma observação. Você não precisa de muito dinheiro para começar no trading, mas viver apenas dessa atividade é outro cenário. Seus ganhos serão percentuais; portanto, quanto maior a quantia de capital, maior também pode ser o retorno financeiro. Apenas não se esqueça: as perdas também crescem. Por isso, deixe para usar maiores quantias de capital quando você encontrar a sua consistência.

Lembrando que, caso você se interesse pela atividade de trading, nós temos um curso gratuito online: o ABC do Trading. Cadastre-se ainda hoje para começar a aprender mais sobre a vida de um trader. Inicie suas operações de uma maneira profissional, evitando os principais erros de um iniciante.