Enciclopédia do Trading: conheça os principais termos do mercado financeiro

Enciclopédia do Trading: conheça os principais termos do mercado financeiro

Se você ainda está começando a investir, provavelmente se confunda com alguns termos do mercado financeiro. São, afinal, muitas palavras e nomes específicos, muitos deles em inglês. É normal sentir-se um pouco perdido(a) nesse momento.

Se esse é o seu caso, não se preocupe. Hoje, nós vamos trazer uma série dos mais comuns termos do mercado financeiro. Uma espécie de glossário. Ao final do texto, temos certeza de que você estará com muito mais intimidade nesse segmento.

Conheça os principais termos do mercado financeiro

Separamos os principais termos do mercado financeiro, apenas para você ir se adaptando ao que é mais comum de escutar dentro do segmento.

Vamos lá!

Acionista

É o comprador de ações de uma empresa que tem ações listadas na Bolsa de Valores. Desta forma, enquanto possuir os títulos desta organização, ele é como se fosse um sócio da companhia.

Existem acionistas ordinários e preferenciais. O primeiro grupo tem direito a voto e, portanto, influencia nas decisões da empresa em questão. Aquele acionista que possui metade das ações ordinárias mais uma ação (ou seja, a maioria) é chamado de acionista ordinário.

Ação

Já que falamos sobre os acionistas, vale explicar também o que é uma ação: um título negociado dentro da Bolsa de Valores que representa uma parte do patrimônio das empresas listadas no mercado de capitais.

Qualquer pessoa com conta em uma corretora pode investir na Bolsa de Valores e comprar os títulos dessa companhia. Quando isso acontece, ele passa a ser um acionista desta.

Alavancagem

A alavancagem é um mecanismo do mercado financeiro que funciona como se fosse um crédito ao trader. Quando alguém está “alavancado”, significa que está operando com mais dinheiro do que possui em conta. Isso, claro, não exclui a existência de regras e procedimentos sobre a própria alavancagem.

B3

É o nome da Bolsa de Valores em operação no Brasil atualmente. O nome é recente, dado em 2017 após a fusão entre a BM&F Bovespa e a Cetip. Ela opera sob supervisão da CVM (Comissão de Valores Mobiliários).

BACEN

BACEN é a abreviação dada para o Banco Central do Brasil, a entidade mais importante no cenário econômico brasileiro. Entre as suas responsabilidades estão o controle do dinheiro em circulação e a definição da taxa básica de juros, por exemplo.

Bolsa de Valores

A Bolsa de Valores é o ambiente em que os traders podem fazer suas negociações, comprando e vendendo ações, títulos e outros ativos financeiros. Como você já viu, a Bolsa de Valores em operação no Brasil é a B3.

Carteira de investimentos

É o nome dado ao grupo de ativos financeiros onde está o capital de um operador. Se ele compra ações, títulos e cotas de um fundo de investimento, por exemplo, esses três ativos farão a composição do que se chama de carteira de investimentos.

CDI

CDI é a abreviação para Certificado de Depósito Interbancário. Diariamente, bancos emprestam dinheiro entre si para não fechar com o caixa negativo (algo proibido pelo Banco Central). Esses títulos bancários são chamados de CDIs. A taxa média utilizada nessas negociações é utilizada como referencial para investimentos, sendo nomeada de taxa DI.

CVM

CVM é a abreviação de Comissão de Valores Mobiliários. Entre suas principais atribuições está a fiscalização e o controle do mercado de capitais, garantindo segurança e transparência a todos os envolvidos — empresas, intermediários e traders.

Day Trade

Day Trade é o nome dado para operações financeiras de curtíssimo prazo. Elas são realizadas em um único dia, com compra e venda de um ativo em um espaço de tempo muito reduzido, aproveitando da sua mínima variação de preço para lucrar.

Dividendos

Os dividendos são a parte do lucro de uma empresa que, após determinado período, é distribuído aos seus acionistas. Eles funcionam como forma de incentivar o acionista a seguir com a empresa, é uma espécie de bônus.

ETF

ETF é a abreviação para o termo em inglês Exchange Traded Funds. Trata-se de um formato de investimento que trabalha com grupos de ações, tentando acompanhar alguns índices dentro da Bolsa de Valores.

Fundo de investimento

Um fundo de investimento é um formato de aplicação financeira em que múltiplos operadores se reúnem e compartilham seu capital com um gestor especializado, responsável pela tomada de decisão sobre o dinheiro. Cada pessoa tem participação nos lucros de acordo com a sua parcela de capital, chamada de cota.

Ibovespa

O Ibovespa é um índice dentro da Bolsa de Valores que acompanha o resultado das principais ações da Bolsa de Valores brasileira. É a principal referência do país.

IR

IR é a abreviação para Imposto de Renda, o valor pago pelos contribuintes brasileiros como imposto por parte da renda adquirida em determinado período. A maior parte dos lucros obtidos com investimentos em renda variável exige o pagamento do IR.

Liquidez

É a facilidade de converter um ativo em dinheiro. Quanto mais fácil esse processo, maior a liquidez. Um imóvel, por exemplo, apresenta baixa liquidez, pois é difícil de vendê-lo. A caderneta de poupança, por outro lado, apresenta o dinheiro em segundos na sua conta e, portanto, é um ativo com liquidez imediata.

Mercado primário

O mercado primário é onde os ativos de uma empresa são negociados pela primeira vez após a abertura de capital por parte de uma companhia. Novas negociações entre traders que já fizeram essa primeira compra e novos interessados passam a ser feitas no mercado secundário.

Opção

É um contrato que dá ao trader o direito de comprar um determinado ativo em prazo futuro, em condições acordadas anteriormente. Na data definida, o operador pode decidir em fazer valer o seu direito ou abrir mão dele.

Rentabilidade

A rentabilidade é o retorno que um ativo oferece ao capital nele investido. Quanto maior o risco de um investimento, maior tende a ser a rentabilidade percentual. Ativos de renda fixa costumam apresentar menor risco, em compensação também oferecem menores rentabilidades.

Risco

O risco é o nome dado à chance que um investimento traz de que o trader perca dinheiro. Quanto maior o risco, mais o ativo precisa oferecer como retorno para atrair interesse. 

Selic

A Selic é a taxa básica de juros do Brasil. Ela é definida em reuniões trimestrais e serve como referência para investimentos de renda fixa como a Caderneta de Poupança, o CDB ou o Tesouro Direto, por exemplo.

Taxa

Taxa é o valor cobrado para a realização de um determinado serviço. Existem diversas taxas com as quais um traders pode precisar lidar no mercado financeiro como Taxa de Administração ou a Taxa de Corretagem, por exemplo.

Tesouro Direto

O Tesouro Direto é um programa criado pelo governo brasileiro para a captação de recursos. Nesse sistema, são compartilhados títulos de títulos públicos que podem ser adquiridos por qualquer pessoa em troca de uma remuneração de juros futura.

Trader

O trader é o profissional que trabalha dentro do mercado de capitais. Ou seja, a sua atuação é comprar e vender ativos financeiros dentro da Bolsa de Valores.

Esses foram alguns dos mais conhecidos termos do mercado financeiro. É claro que eles são apenas alguns e, se você quiser estudar a fundo, existem muitas outras palavras desse segmento que podem ser aprendidas.

Caso esse seja um assunto do seu interesse, não deixe de conhecer o nosso curso gratuito ABC do Trading. Nele, tratamos de diversos assuntos básicos, mas importantes, para quem deseja ser um trader profissional. Aproveite!